Amigos

17 de setembro de 2012

Catequese: lugar de reflexão e meditação da Palavra




“Mesmo que as serras mudem de lugar, ou que as montanhas balancem, meu amor para contigo nunca vai mudar, minha aliança perfeita nunca há de vacilar – diz o Senhor, o teu apaixonado” (Is 54,10).

Neste mês da Bíblia nos convém sempre trazer reflexões, métodos e textos que nos fazem buscar um contato mais íntimo com as Escrituras. A comunidade catequética tem essa incumbência de fazer brotar nas pessoas o amor para com a Palavra de Deus. Temos que aprender a amar na Catequese a Palavra, porque só quem ama quer conhecer, quer está perto.
Hoje, quero propor a vocês Catequistas e pessoas que visitam o nosso blog, os passos para a oração de meditação com a Palavra de Deus. Os passos são cincos: dispor-se, preparar-se, situar-se, meditar e revisar. É necessário ter alguns instrumentos para o trabalho espiritual: um caderno, caneta (se possível de quatro cores), a Bíblia. Com a cor vermelha, você vai marcar as ordens de Deus; com a verde, as promessas que Deus fará para você; com a preta, as coisas que precisam mudar na sua vida; e com a azul, os propósitos de mudança. É bem fácil, a própria Palavra irá desvelar as nossas dúvidas, e com certa perseverança seremos moldados, e não por qualquer coisa, mas pela Palavra de Deus.
Bom, vamos à obra! O primeiro passo é dispor-se. Escolho um texto bíblico (indico textos da liturgia diária da Igreja). Defino a duração da oração (tempo). Busco um lugar tranquilo e agradável que me ajude a me concentrar. É importante também uma boa posição corporal. É acolher-se para ser acolhido.
O segundo passo é o preparar-se. Faço um silêncio interior e exterior. Respiro lentamente, suavemente. Tomo consciência de que estou na presença de Deus. Faço com devoção o sinal da cruz e a invocação do Espírito Santo.
Em seguida, vem o situar-se. Peço a Deus nosso Senhor para que todos os meus desejos, pensamentos e sentimentos estejam voltados unicamente para o seu louvor e serviço. Peço à graça que verdadeiramente desejo receber de Deus, de realmente me encontrar com Ele.
O passo seguinte é o quarto. Agora o meditar é importante. Leio devagar o texto bíblico, saboreando as palavras que mais me “tocam”. Reflito por que esta frase, palavra, ideia me chama a atenção. Converso com Deus (você tem conversado com Deus?) como um amigo: falo, escuto, peço, louvo, pergunto, silencio, seguindo os sentimentos experimentados na oração.
No final, vou revisar. Recordo o meu encontro com Deus. Dai uso o meu material. Anoto o que foi mais importante na oração: o texto mais significativo (palavras, frases e imagens); os pensamentos predominantes; os sentimentos de consolação ou desolação; se houve apelos e como me senti diante deles; as ordens de Deus (que é sempre libertação), suas promessas; meus propósitos...
Queridos Catequistas, eis um bom itinerário de meditação bíblica através de oração. Só lembro que nós muitas vezes fazemos como os doentes: só tomamos o remédio quanto estamos doentes, e quando bons deixamos o remédio de lado. Para sermos homens e mulheres de palavra e da Palavra temos que perseverar. O fruto só germina se cuidado e regado.
Encontramo-nos da Eucaristia e na Palavra em forma de oração.
Seminarista Alex Sandro Serafim.

Nenhum comentário: